Vamos inovar os métodos de ensino para despertar o interesse nos alunos

Professores novatos e os de longa estrada encontrarão preciosas dicas de ensino para melhorar a qualidade das aulas e a participação dos alunos, transformando-os em questionadores e formadores de opinião.

O objetivo é trocar experiências, conteúdos, críticas e sugestões, de modo que os profissionais de ensino fiquem por dentro de como se inicia uma aula incentivadora, sem dar espaço a métodos ultrapassados

"Aprender é descobrir aquilo que você já sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você!" (Paulo Freire)
A informação é a melhor arma que enriquece o conhecimento
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Introdução à Filosofia no primeiro dia de aula 1-6


Essa é a apresentação da primeira das 6 partes de como iniciar Filosofia no primeiro dia de aula e vai ajudar o professor a transmitir aos estudantes a importância da disciplina que é tão desvalorizada por ser julgada de não haver aplicabilidade no dia a dia.

É fundamental que o professor utilize introdução motivacional para associar a Filosofia a diversas situações que exigem puro raciocínio e questões de reflexão.

Graças à disciplina, foi possível a descoberta de variadas leis da natureza comprovadas pelas ciências exatas presentes na matemática, física e química, além das leis nas ciências biológicas.

As etapas do método científico podem ser trabalhadas por intermédio de experimentações ou por raciocínio. Essa segunda ferramenta é a que pertente à Filosofia.

Para entender a Filosofia de maneira bem simples no início, imagine uma criança de 4 anos, idade em que aparecem muitas perguntas estimuladas pela curiosidade desmedida. Muitos questionamentos geram dúvidas e, por sua vez, incentivam o raciocínio.

Para saber mais, vamos ao vídeo?








Leia o texto completo

COMO INICIAR BIOLOGIA NO PRIMEIRO DIA DO ANO LETIVO


Indicada para ensino médio e primeiro período universitário, a vídeo-apresentação é dividida em 3 partes e dá dicas de como o professor de Biologia pode iniciar a aula no primeiro dia do ano letivo antes do pontapé inicial ao conteúdo do primeiro bimestre.

A recomendação é indicada também para professor universitário que vai lecionar turma de primeiro período em faculdade ligada à saúde, como Medicina, por exemplo. É comum acontecer de alunos em início na vida universitária ainda terem mentalidade de estudante de ensino médio, com base incompleta, e não aprendeu Biologia associada ao cotidiano, que deveria ter sido com base em raciocínio e interpretação, apenas com predomínio da memorização.

Por alguns motivos, um deles por inexperiência ou por desmotivação, mesmo com mais de 10 anos de profissão, a maioria dos docentes inicia de imediato o assunto do bimestre sem ter um bate-papo informal, de maneira descontraída, e pode fazer o estudante pensar que a Biologia seja inútil no ensino escolar.

Existem muitos profissionais de saúde que estudaram assuntos científicos em universidade e cursos técnicos ligados à saúde, sem nunca terem gostado de Biologia e de outras disciplinas em interdisciplinaridade com ela, a Química, por exemplo.

Por falta de uma metodologia eficaz, a Biologia é vista ainda como mera fonte de informações apenas para avaliações bimestrais, e o indivíduo mal sabe que existem várias aplicações dela fora dos muros dos estabelecimentos de ensino. Por isso, entra o papel do professor para converter cultura inútil em utilidade para o bem-estar, principalmente quando se trata de doenças e de situações de caráter alarmante como o uso perigoso de anabolizantes, cuidados com a obesidade mórbida e desvendamento de mistérios, alguns já com respostas definidas e outros ainda estacionados em hipóteses, uma das fases do método científico. Origem da Vida, Extinção dos Dinossauros, Evolução e o Universo estão na lista dos inúmeros mistérios ainda inconclusivos, apesar de ser fascinante estudar coisas assim que se encontram por enquanto em condições hipotéticas. Pelo menos vão garantir o emprego de cientistas que trabalham no ramo que envolvem os assuntos citados.

Graças à Biologia, foi possível a exploração espacial, a fabricação de vacinas, antibióticos e da pílula anticoncepcional, além da chegada e avanço da Biotecnologia que favoreceu a vida dos diabéticos, a pesquisa com células-tronco, e deu origem às profissões que conhecemos - Medicina, Odontologia, Nutrição, Agronomia, Medicina Veterinária, Fisioterapia, Biomedicina e as Ciências Biológicas propriamente ditas.

PRIMEIRA PARTE


SEGUNDA PARTE


TERCEIRA PARTE



Leia o texto completo

Como iniciar aula de Razões e Proporções - 3 partes


O professor de Matemática pode seguir essa dica de introdução motivacional antes de partir para o ensino convencional, seguidamente de diversos exercícios e aplicados em enunciados de outras disciplinas como a Física e a Química.

É muito importante o docente iniciar a aula através de aplicações práticas desse assunto encontradas em maquetes, plantas de imóveis, escalas cartográficas etc e útil para posterior entendimento de Razões Simples e Compostas e Grandezas Direta e Inversamente Proporcionais.

Razões e Proporções serve para compreender também o surgimento de fórmulas na Física.

Para saber mais, veja o vídeo, dividido em 3 partes, e boas aulas!

PARTE 1


PARTE 2


PARTE 3




Leia o texto completo

Como iniciar História no primeiro dia do ano letivo - 4ª Parte



A quarta e última parte de como a História pode ser introduzida de maneira motivacional para despertar o interesse da turma, no primeiro dia do ano letivo, ou em caso de o professor recém ingressado numa escola ou faculdade, após alguns dias ou meses da primeira data letiva.

A dica serve a partir do ensino fundamental até o superior, este geralmente para alunos do primeiro período.

A videoaula informa as divisões da História em: História Geral e História do Brasil. É uma sugestão para que o aluno identifique um fato pertencente a sua divisão. Por exemplo, no final da Idade do Ferro, a escrita se estreia, dando início à história propriamente dita. Ou, então, a abdicação de D.Pedro I ocorreu no período imperial da História do Brasil.

A divisão mostrada pode ser usada durante todo o ano quando um novo assunto, até mais de um, é apresentado por bimestre.

Portanto, mais uma vez, o objetivo da dica apresentada no vídeo é fazer o estudante entender por que a História deve fazer parte do ensino escolar para que ele saiba, por exemplo, que uma crise de hoje é resultado de causas ocorridas em algum tempo bem remoto.

No primeiro dia, o professor pode escrever, no quadro, as divisões e, em seguida, as perguntas do tipo "Por que devemos saber História do Brasil?", "Quais são os personagens marcantes?", "Em que período da História Geral o Brasil foi descoberto?".

Para o entendimento completo, vamos ao vídeo?


Leia o texto completo

Como iniciar História no primeiro dia do ano letivo - 3ª Parte


A terceira parte sugere ao docente de História falar da disciplina dividida com base em dois critérios:

1) História Geral e História do Brasil
2) Por período ou idade: Antiga, Média, Moderna e Contemporânea

Ainda há a história da pré-história dividida em:
a) Idade da Pedra Lascada (Paleolítico);
b) Idade da Pedra Polida (Neolítico);
c) Idade do Bronze;
d) Idade do Ferro.

A dica serve para todos os níveis. O professor universitário, por exemplo, ao receber alunos do primeiro período, pode debater com eles as divisões, com o objetivo de profunda revisão e fazê-los estarem por dentro de cada fato pertencente à respectiva época.

No final da Idade do Ferro, muitos não lembram que, nesse período, surgiu a escrita e, a partir desta, saímos da pré-história. Por isso, é essencial o professor de História realizar esse tipo de abordagem para que o estudo tenha mais clareza, facilitando a assimilação dos fatos mais marcantes, muitos cobrados em provas de várias naturezas.

Assista à vídeo-apresentação:




Leia o texto completo

Como iniciar História no primeiro dia do ano letivo - 2ª Parte


A interdisciplinaridade da História com as demais disciplinas enriquece a aprendizagem e também contribui para a elaboração de projetos. Além disso, a abordagem com o cotidiano conscientiza o estudante a compreender as razões da disciplina fazer parte do currículo escolar.

A relação da História com a Arte, por exemplo, auxilia na produção de filmes épicos, teatros, novelas de época, todos no ramo das artes cinematográficas. Assistir a uma minissérie sobre escravidão no Brasil, por exemplo, facilita o ensino desse assunto pertencente à História do Brasil.

A migração de antepassados humanos pré-históricos para a Europa é consequência da Era Glacial, conteúdo muito abordado na Evolução Humana que faz parte da Biologia.

Assista ao vídeo e siga a sugestão:


Leia o texto completo

Como iniciar História no primeiro dia do ano letivo - 1ª Parte


A dica serve para todos os níveis de profissional de ensino (básico, fundamental, médio e superior). 

Não existe fórmula mágica para fazer todos os estudantes brasileiros gostarem de História, apesar dessa disciplina ser de grande importância, pois, graças a ela, surgiram as demais atividades profissionais através de documentos, utensílios, obras literárias, pinturas e objetos artesanais. 

Se não fosse o ofício do historiador, não seria possível, por exemplo, a prática da engenharia na construção de habitações, veículos de transporte particular e público, invenções tecnológicas cada vez mais avançadas, até mesmo não teria havido a concretização do ingresso do homem à Lua. Antigos egípcios, antes de Cristo, utilizavam métodos muito simples para a medida de áreas de terreno com conhecimentos básicos de ponto, reta e plano na Geometria, elaboraram fórmulas matemáticas e, assim, temos posse hoje de várias equações na utilização em outras disciplinas - Física e Química.

A introdução motivacional é a ferramenta que pode resgatar a qualidade de ensino, não somente de História, assim como das demais disciplinas. Essa metodologia consiste na abordagem de questões motivacionais, na utilização de notícias de jornais e revistas que contêm assuntos ligados a conteúdos escolares, na apresentação de documentários através de recurso audiovisual e em experimentos práticos de laboratório.

A primeira parte da apresentação aborda perguntas do tipo "Por que estudar História?", Para que serve a História no meu dia a dia?", "Quais áreas de atuação profissional?" e "Por que ela faz parte do currículo escolar?".

As perguntas acima são exemplos de questões motivacionais para que o estudante tenha consciência de que não se aprende História à toa e que tudo tem a ver com nossa vida diária.

Assista, portanto, a primeira parte da apresentação:



Leia o texto completo
 
Espaço Docente Aprendiz | by TNB ©2010